Queijos Brasileiros

Os queijos brasileiros estão evoluindo muito e rapidamente. Nos últimos anos, os produtores afinaram suas técnicas, os comerciantes estão tratando bem os queijos e o público respondeu com entusiasmo. A melhor notícia é que bons queijos estão sendo produzidos por todo o país: o Brasil não tem só canastras. A produção nacional tem outros grandes queijos regionais, como o serrano do Rio Grande do Sul, o coalho do Nordeste, entre tantos outros. E eles começam a ganhar lugar de destaque, em lojas especializadas que se espalham não apenas em São Paulo e no Rio de Janeiro, mas em diversas capitais.

O Paladar fez uma dura seleção com a ajuda do livro Queijos do Brasil e do Mundo, de José Osvaldo do Amarante. Depois da seleção orfabizou uma degustação de alguns dos melhores queijos que apareceram no mercado nos últimos anos. * Os preços foram checados em janeiro/2017.

Participaram da degustação Amarante, os especialistas Bruno Cabral (Mestre Queijeiro) e Fernando Oliveira (A Queijaria), além da editora do Paladar, Patrícia Ferraz, e do crítico gastronômico, José Orenstein.

Leite: cru de ovelha
Textura: quebradiço
Maturação: mínimo de 12 meses
Descrição: de sabor característico de queijos de leite de ovelha e salgadinho na medida. Apesar do aroma adocicado, o sabor picante prevalece – um contraste que ganhou a nossa atenção. Bom substituto do pecorino no preparo do cacio e pepe.
Produtor: a Grand Paladare é pioneira no País na produção de queijos artesanais de ovelha.
Preço: R$ 184 (o quilo)
Onde: Mestre Queijeiro

Leite: vaca pasteurizado
Textura: firme
Maturação: 5 meses
Descrição: de sobrenome “estilo reino”, este queijo de casca lavada com beterraba – que dá a cor característica na parte de fora – atende às expectativas de quem tem familiaridade com o tipo. É um queijo gostoso, simples e artesanal e vai bem com uma boa goiabada, no tradicional Romeu e Julieta.
Produtor: Fazenda Santa Luzia, que fica em Itapetininga, no interior de São Paulo.
Preço: R$ 120 (o quilo)
Onde: A Queijaria

Leite: misto – 50% de cabra e 50% de búfala pasteurizados
Textura: macio
Maturação: 60 dias
Descrição: parceria da produtora Heloisa Collins com Fernando Oliveira, que matura o queijo em uma caverna. O processo dá complexidade ao queijo – sabor suave e doce com leve picância.
Produtor: Capril do Bosque, que cria cabras – o leite de búfala vem da fazenda vizinha.
Preço: R$ 68 (a peça de 250g)
Onde: A Queijaria

Leite: cru de vaca
Textura: cremoso
Maturação: 30 a 40 dias
Descrição: a casca rústica e dura, com mofo artificial trazido da França, esconde um interior muito cremoso – seu ponto alto. Inspirado na receita do queijo francês Tomme de Savoie.
Produtor: no Vale do Paraíba paulista, o francês Christophe Faraud faz outras variedades
de queijo de receita francesa.
Preço: R$ 155 (o quilo)
Onde: Mestre Queijeiro

Leite: cru de ovelha
Textura: firme
Maturação: 90 dias
Descrição: este não é um queijo fácil. Tem sabores bem complexos, talvez o que rendeu mais discussão na degustação. Começa difícil, mas cresce na boca, com picos de picância e amargor que se revelam ao final.
Produtor: Lara Dias, que está à frente da Sabores da Ovelha, foi até a serra da Canastra para aprender o método de preparo do queijo tradicional da região. Depois, reproduziu a receita utilizando leite de ovelha.
Preço: R$ 180 (o quilo)
Onde: A Queijaria

Leite: cru de vaca
Textura: macio
Maturação: 6 meses
Descrição: agradável com sabor amanteigado, é um queijo fácil, para qualquer ocasião. Pode ser comparado a um parmesão não finalizado – doce e granulado, só que um pouco mais cremoso.
Produtor: os produtores da Fazenda Santana já criavam gado antes de decidirem investir na produção de queijo, com a ajuda de um especialista francês. Preço: R$ 180 (o quilo)
Onde: Mestre Queijeiro

Leite: cru de vaca
Textura: macio
Maturação: mínimo de 90 dias
Descrição: apesar do nome, em nada se assemelha com o queijo italiano. Este tem sabor potente e picante.
Produtor: uma cooperativa de mais de cem produtores no município de Alagoa (MG), no alto da serra da Mantiqueira, é a responsável pela identidade deste queijo, tradicional da região.
Preço: R$ 94 (o quilo)
Onde: Mestre Queijeiro

Leite: cru de vaca
Textura: firme e elástico
Maturação: 45 a 60 dias
Descrição: de aroma simples e sabor complexo, este queijo virou um hit na loja de Bruno. Como o próprio nome já diz, se sai bem no preparo da tradicional receita suíça.
Produtor: o suíço Dieter Müller e sua mulher, a brasileira Soraya, produzem esse queijo no Vale do Jequitinhonha.
Preço: R$ 108 (o quilo)
Onde: Mestre Queijeiro

Leite: cru de vaca
Textura: amanteigado
Maturação: 30 a 45 dias
Descrição: este é um queijo fácil, por assim dizer: suave na boca e com boa acidez, equilibrado do começo ao fim. Um bom queijo de mesa, ótimo para acompanhar um café mineiro.
Produtor: a serra capixaba é região de imigrantes italianos, como este produtor. Radicado há poucos anos no País, Amedeo Mazocca faz outros dois tipos de queijo de receita italiana.
Preço: R$ 121 (o quilo)
Onde: Mestre Queijeiro

Leite: cru de vaca
Textura: amanteigado (semiduro)
Maturação: 120 dias
Descrição: esse “canastra” do Sul é tradicional gaúcho. A região mineral confere sabor intenso e forte aroma de azeitona. Parece que leva azeite, mas é impressão. Preferido de muitos da degustação.
Produtor: Antonio Lopes é quem está por trás deste queijo (feito em pequena escala) e do movimento queijeiro da região – fazendo escola para outros produtores. Segue a tradição dos portugueses.
Preço: R$ 128 (o quilo)
Onde: A Queijaria

Fonte: paladar.estadao.com.br
por Renata Mesquita