Os diferentes tipos de pimenta

De diferentes tamanhos, cores, formatos e sabores, as pimentas são o segundo tempero mais utilizado nas cozinhas de diversos países, perdendo apenas para o sal. Saber usá-las, na medida certa, pode resultar em pratos muito mais saborosos. Conheça alguns tipos de pimentas!

Pimenta malagueta: possui alto teor de vitamina A, próximo ao da cenoura que é uma das principais fontes desse nutriente. Seus frutos maduros têm coloração vermelha e são bem picantes. É muito utilizada na culinária brasileira, principalmente, em pratos baianos.

Pimenta-dedo-de-moça: é a mais consumida no Brasil e, apesar de sua coloração bem avermelhada, é mais suave do que a pimenta malagueta. Pode ser encontrada fresca, em conserva ou desidratada (pimenta calabresa). Muito utilizada em pratos italianos.

Pimenta Habanero: é uma espécie proveniente do México e é uma das pimentas mais fortes que existe. Depois de madura, pode apresentar um sabor levemente adocicado, mas ainda sim se mantém bastante ardida.

Pimenta-do-reino: representa uma das especiarias mais antigas e mais utilizadas no mundo. Pode ser encontrada nas cores verde, preta ou branca e possui sabor levemente picante. Pode ser usada em praticamente todas as preparações salgadas, sendo responsável por realçar o sabor dos pratos.

Pimenta caiena: constitui uma mistura de pimentas vermelhas secas (malagueta, dedo-de-moça e chifre-de-veado). Muito utilizada na culinária mexicana e tailandesa.

Pimenta biquinho: recebe esse nome por ser arredondada e estreita na ponta. A pimenta biquinho vermelha tem sabor suave e é muito utilizada na culinária mineira, já a amarela tem sabor marcante que não arde na boca, por isso, é empregada em pratos doces e salgados.

Pimenta tabasco: tem forma alongada e pequena e é originada de uma pequena cidade mexicana com mesmo nome. Antes de amadurecer, tem coloração amarela, depois alaranjada e por fim vermelha. Apresenta sabor picante, sendo utilizada no preparo de peixes e saladas.

Agora é com você escolher o tipo de pimenta que mais agrada o seu paladar!

Fonte: Natue

ALIMENTOS FUNCIONAIS: ENTENDA E INCLUA NAS REFEIÇÕES!

funcional-

 

Muito se ouve falar em alimentação funcional. Mas o que significa este termo? Em linhas gerais, fazem parte desse grupo aqueles alimentos que, além de cumprirem sua função nutricional, fazem bem à saúde e em alguns casos ajudam até a prevenir doenças.
Não à toa, alguns restaurantes têm investido em cardápios funcionais, aliando a boa mesa aos cuidados com a saúde. Que ao praticar a gastronomia funcional une o sabor dos ingredientes aos efeitos que eles, combinados, terão no organismo.
Mas ninguém precisa sair de casa para experimentar a gastronomia funcional. O segredo está sem saber como consumi-los, já que não basta simplesmente misturá-los aos pratos do dia a dia. Abaixo uma lista de alimentos funcionais que podem entrar na dieta e ajudar a sua saúde.
Alho – 1 dente cru (pode ser moído ou picado) por dia melhora a imunidade e aumenta o colesterol bom;
Goji berry – 120 ml de suco ou entre 15g e 45g in natura ou desidratado por dia ajuda a aumentar a imunidade;
Chá de hibisco – esquente diariamente uma colher de chá da folha seca em 200 ml de água mineral até cerca de 85 °C. Ajuda a controlar o colesterol, a queimar gordura e tem ação diurética e antioxidante;
Chá verde – diariamente, ferva 1 litro de água, desligue e coloque 1 colher de sopa da erva. Aumenta o colesterol bom, reduz o ruim, potencializa o emagrecimento, tem ação antioxidante e ajuda a prevenir alguns tipos de tumor;
Gengibre – 2 colheres de chá por dia fresco, seco ou em conserva têm ação antioxidante, ajudam a combater problemas respiratórios e ajudam no funcionamento do sistema digestivo;
Vinho tinto – 1 cálice por dia para se beneficiar de seus poderes antioxidantes que previnem câncer e doenças cardiovasculares;
Azeite de oliva – 1 colher de sopa do tipo extravirgem (sem aquecê-lo) ajuda no funcionamento do intestino e combate o envelhecimento precoce das células;
Chia – de 1 a 2 colheres de sopa da semente ou da farinha ou 1 colher de sopa do óleo por dia. Ajuda no funcionamento do intestino, previne doenças cardiovasculares e tem ação anti-inflamatória;
Linhaça – 1 colher de sopa por dia, de preferência moída na hora, tem como benefícios o alívio de sintomas da TPM e da menopausa, a regulação dos hormônios em geral e a melhora do funcionamento do intestino;
Pimenta vermelha – não há uma quantidade exata recomendada, mas ela ajuda a acelerar o metabolismo, dá sensação de prazer e de saciedade;
Tomate – 100 g por dia, no molho, ajudam a combater o envelhecimento precoce e a prevenir alguns tipos de câncer;
Canela – de 1 g a 6 g por dia, em pó ou em pau, têm ação termogênica e ajudam a controlar o diabetes e o colesterol. Ainda melhora a imunidade e tem ação anti-inflamatória;
Quinoa – não há uma quantidade exata recomendada. Ela pode ser consumida em grão ou como farinha, ajudando a prevenir problemas cardiovasculares. Também traz sensação de saciedade;
Couve – a recomendação diária é de 100 g, crua ou cozida. Também pode ser adicionada a sucos, e tem ação antienvelhecimento, além de ajudar a prevenir câncer e anemia;
Farinha de arroz – substitui a farinha de trigo nas receitas e age contra o colesterol ruim, melhora os níveis de açúcar no sangue e o funcionamento do intestino;
Farinha de aveia – diminui o colesterol ruim e, como tem absorção lenta no organismo, traz sensação de saciedade, melhorando ainda o funcionamento do intestino;

 

Fonte: blog Angeloni