Meu amigo secreto é um vinho

Google Imagens

Meu amigo secreto harmoniza muito bem com pratos  mais leves e caracteriza-se por sua suavidade e frescor. Sua produção ocorre através da mistura de uvas brancas e tintas.

E aí, já sabe de quem estamos falando? Se sua resposta foi vinho rosé, você acertou!

Google Imagens

Os vinhos rosés costumam ser consumidos em sua juventude enquanto a acidez é mais marcante, principalmente nos vinhos mais secos. Sua belíssima cor rosada é proveniente das cascas das uvas tintas, durante o processo de fermentação. A cor do vinho rosé pode variar de acordo com a uva utilizada em sua produção.

A temperatura ideal para servir esse tipo de vinho é entre 8 a 10ºC, para os mais leves, e 10 a 12ºC para os mais encorpados.

Google Imagens

A taça adequada para vinhos rosés se assemelha as taças para servir vinhos brancos, porém seu bojo é levemente mais largo com uma forma que remete a um diamante. Este modelo de taça é indicado por revelar os aromas específicos dos vinhos rosés. O formato também contribui para manter a frescura da bebida por mais tempo.

Após aberto, não é recomendado guardar o vinho na geladeira por mais de três dias. Esse tempo pode variar de acordo com a acidez do vinho. Mas, sinceramente, duvido que vai sobrar vinho para você guardar, não é?

Gostou das curiosidades? Então, um brinde ao meu amigo secreto, que é pra lá de especial.

Google Imagens

 

O drink mais amado pelos brasileiros

Quando se fala em um drink tipicamente brasileiro não tem discussão, a caipirinha é a primeira a ser lembrada. Muito popular nos bares e restaurantes, esse drink é apreciado por muitas pessoas e desperta a curiosidade dos turistas. Mas você sabe como surgiu essa bebida, que hoje tem tantas versões? Então, nós vamos te contar!

A caipirinha foi inventada por volta do ano de 1918, no interior do estado de São Paulo. A princípio, foi criada a partir de uma receita popular feita com limão alho e mel, indicada para os doentes da gripe espanhola.

Como era bastante comum colocar um pouquinho de álcool em todo remédio caseiro nesta época a fim de acelerar o efeito terapêutico, a cachaça era muito usada. Até que um dia alguém resolveu tirar o alho e o mel. Depois, acrescentaram umas colheres de açúcar para adoçar a bebida e logo em seguida o gelo.

A Caipirinha sempre foi definida como uma receita oficialmente brasileira, mas foi somente em 2003 que o país passou a ter um registro dessa bebida como sendo um produto inerentemente brasileiro. A bebida é um verdadeiro orgulho nacional, com vários prêmios e honras, como:

-O Drink mais quente do século segundo a revista americana In Style.

-Uma das dez mais famosas misturas do planeta, pela revista inglesa Drinks International e um dos melhores coquetéis do mundo, segundo a International Bartender Association.Fonte: Pepper Drinks

Qual a diferença entre aguardente, pinga e cachaça?

4

Há quem generalize, mas cachaça, pinga e aguardente não são a mesma coisa. De acordo com Roberta Saldanha, a aguardente é uma bebida de alto teor alcoólico, obtida por destilação de cereais, frutas, raízes, sementes, tubérculos, canas-de-açúcar, castanhas, vinhos, plantas, melaços ou gramíneas.

A cachaça é um destilado feito da borra ou do melado da cana-de-açúcar. Seu nome pode ter vindo da velha língua ibérica cachaza (vinho de borra), um vinho inferior bebido em Portugal e Espanha. Já a pinga é fabricada com base na garapa e caldo de cana fermentado. Durante o processo de destilação em alambique, o vapor se condensa aos pingos, o que explica a origem de seu nome.

Foto: Getty Images

Fonte: Terra.com