Udon, há 10 anos servindo a melhor comida japonesa de BH

 

alt=" aniversario 10 anos Udon restaurante de comida japonesa"

O Udon Lourdes está comemorando 10 anos de existência, e desde sua inauguração o estabelecimento já foi premiado diversas vezes como o melhor restaurante de comida japonesa de Belo Horizonte. Por isso, o local é ideal para os amantes da gastronomia oriental.

Famoso por seus combinados especiais e sabores inusitados, o restaurante destaca-se como referência em comida japonesa de BH. Além disso, o atendimento cordial e eficaz da equipe torna a experiência gastronômica ainda mais prazerosa e completa para os clientes.

E é claro que com um histórico desses, a comemoração dos 10 anos de existência do Udon não poderia ser nada menos do que especial. Para isso, o nosso Chef preparou um menu exclusivo, que estará disponível entre os dias 14 e 17 de Março.

Você deve estar se perguntando o que vai ter de tão incrível assim nessa festa, né?! Pois nós vamos te contar tudinho. Confira agora, com exclusividade, o nosso menu completo de aniversário.

ENTRADAS

Para abrir o seu paladar, nosso Chef preparou duas deliciosas entradas com os ingredientes mais frescos e inusitados da gastronomia oriental. Olha que legal!

alt="comida japonesa tartar de salmao"
Tartar de salmão com trilogia de ovas, pururuca de tinta de lula, tempura de quiabo e teriyaki.
alt="ceviche de badejo com amarilo"
Ceviche de badejo com aji amarillo, leite de tigre e granita de tangerina.

PRATO PRINCIPAL

E é claro que a estrela desse menu deveria ter uma perfeita harmonização de sabores e texturas. Pensando nisso, foi desenvolvido nosso prato de atum em crosta de ervas com spaghetti de pupunha.  Mas, tenha cuidado! Esse prato promete conquistar muitos paladares.

alt="atum em crosta com spaghetti de pupunha"
Atum em crosta de ervas com spaghetti de pupunha, infusão de raiz forte e azeite trufado.

SOBREMESA

Se você procura por sabores comuns, esqueça! Para fechar esse delicioso jantar e deixar um gostinho de quero mais, nossa sobremesa é bastante ousada. Uma combinação extraordinária de sabores  e  o perfeito equilíbrio entre os níveis de doçura para te proporcionar uma experiência prazerosa do início ao fim.

alt="sorvete de manjericao com morango flambado"
Morangos flambados no sakê, sorvete de manjericão, salsão branqueado e raspas de limão siciliano.

Ficou com água na boca? Então se prepara que ainda tem mais. Além de todas essas delícias, os clientes ainda poderão apreciar o novo espumante exclusivo do Udon, produzido pela vinícola Pizzato. E não dá pra chamar de festa sem música, concorda? Pensando nisso, convidamos o DJ Leandro Rallo, que virá com um repertório super elegante e personalizado.

E aí, tudo certo para o nosso encontro nessa festa? Corre lá no sympla para garantir o seu ingresso antecipado. Até breve!

Por Mariana Oliveira

Gastronomia é arte e inspiração

Certamente, você já ouviu a expressão ” nós comemos com os olhos” e é a mais pura verdade. Antes de decidir se vamos comer ou não um determinado prato, nós o julgamos por sua aparência.

Apesar do sabor ser parte essencial na gastronomia, o visual é o primeiro contato que o cliente tem com a comida. Portanto, nesse momento, é fundamental que o prato desperte a curiosidade e o desejo do consumidor.

É válido pensar na gastronomia como uma arte na qual o prato é uma tela em branco a ser “desenhada” pelo Chef de Cozinha.

A escolha da louça é fundamental no momento da montagem do prato, tendo em vista que a mesma não deve roubar a atenção e sim ressaltar os alimentos. Além disso, pensar na combinação de cores dos insumos é essencial para transmitir equilíbrio e despertar o paladar.

Outro fator importante é pensar, previamente, na montagem antes de começar a confeccionar o prato, levando em conta, é claro, a combinação de sabores e texturas. Afinal, o sabor é sempre o principal diferencial que um bom Chef pode oferecer para o seu cliente.

E aí, gostou dessa matéria? Conta pra gente o que você gostaria de ver aqui no nosso blog. Até a próxima!

 

Por Mariana Oliveira

Ervas frescas ou secas? Quem vence a disputa?

Quem nunca sentiu aquela fome enquanto sentia o cheiro de uma deliciosa comida sendo preparada? Os aromas aguçam o nosso paladar e as ervas são muito utilizadas como temperos no preparo de diversos pratos, pois além de super aromáticas, proporcionam maior sabor aos alimentos.

Algumas pessoas conseguem até mesmo reduzir a quantidade de sal em suas refeições utilizando as ervas como alternativa. Porque, dessa forma os pratos ficam mais saudáveis, entretanto continuam bastante saborosos.

Você sabe qual a melhor forma de utilizar ervas frescas e secas? Então confira as dicas que selecionamos para você.

COMO UTILIZAR AS ERVAS DESIDRATADAS?

Se a erva for desidratada, não espere até o final do cozimento para adicioná-la. A erva seca precisa de mais tempo para liberar seus aromas e se misturar aos sabores do prato.

As ervas que melhor retém o aroma são aquelas em formato de arbustos, como o orégano, o tomilho e o alecrim. Ervas mais tenras, como o manjericão e a cebolinha, perdem muito do seu aroma, e por isso são melhores quando usadas frescas.

Se você for substituir a erva fresca pela seca, lembre-se que a seca tem sabores mais concentrados e por isso você precisará de uma porção menor. Use cerca de 2/3 do que você utilizaria se fosse uma erva fresca.

COMO UTILIZAR AS ERVAS FRESCAS?

A erva fresca deve ser adicionada ao final do cozimento ou com o prato pronto. O manjericão, por exemplo, deve ser adicionado à pizza depois que ela sair do forno. Já o tomilho fresco deve ser adicionado à sopa momentos antes de finalizar o cozimento.

Ervas frescas são muito indicadas para pratos que não vão ao fogo ou que terão muito pouco tempo de cozimento, como saladas e em alguns molhos.

Você também pode misturar as ervas desidratadas com as frescas. Coloque um pouco de ervas secas no início do cozimento para que os sabores se misturem e um pouco de ervas frescas ao final para realçar o sabor.

E aí, podemos considerar um empate, nessa disputa? Coloque em prática as nossas dicas e descubra o que mais agrada o seu paladar.

Fonte: Cozinha Técnica

 

Udon, o melhor restaurante japonês de BH

Os restaurantes da Rede Gourmet são conhecidos pelo alto padrão e excelência em gastronomia, em Belo Horizonte. Compõem a rede: Olegário Pizzaria e Forneria, restaurante Santafé e o Udon culinária japonesa. Todos os estabelecimentos foram premiados pela revista Encontro Gastrô 2017.

O restaurante Santafé, famoso por seu diversificado Buffet de saladas, conquistou o segundo lugar na categoria Cozinha Light/Salada, a Olegário, tradicional por suas pizzas de massa artesanal assadas em forno à lenha, assumiu o segundo lugar na categoria Pizzaria. Porém, gostaríamos dar destaque especial paro o restaurante Udon, que foi eleito como o melhor restaurante japonês de Belo Horizonte.

Com um conceito inovador e uma gastronomia oriental nada tradicional, o Udon vem conquistando cada vez mais os belo-horizontinos. Seu diversificado cardápio de comidas, os deliciosos combinados do Chef e o extenso cardápio de drinks são alguns dos fatores que fizeram com que o Udon pudesse conquistar mais essa premiação.

Atualmente, o restaurante possui duas unidades, uma no bairro de Lourdes, sendo essa sua matriz, e outra no Belvedere que trouxe para a cidade um novo conceito em Izakaya, um famoso bar japonês. Essa conquista foi mérito de toda a equipe Udon, que realizou seu trabalho com muita dedicação, e de todos os clientes que votaram através do site da revista encontro.

Para conferir tudo que rolou na premiação acesse o site da Revista Encontro.

Os diferentes tipos de pimenta

De diferentes tamanhos, cores, formatos e sabores, as pimentas são o segundo tempero mais utilizado nas cozinhas de diversos países, perdendo apenas para o sal. Saber usá-las, na medida certa, pode resultar em pratos muito mais saborosos. Conheça alguns tipos de pimentas!

Pimenta malagueta: possui alto teor de vitamina A, próximo ao da cenoura que é uma das principais fontes desse nutriente. Seus frutos maduros têm coloração vermelha e são bem picantes. É muito utilizada na culinária brasileira, principalmente, em pratos baianos.

Pimenta-dedo-de-moça: é a mais consumida no Brasil e, apesar de sua coloração bem avermelhada, é mais suave do que a pimenta malagueta. Pode ser encontrada fresca, em conserva ou desidratada (pimenta calabresa). Muito utilizada em pratos italianos.

Pimenta Habanero: é uma espécie proveniente do México e é uma das pimentas mais fortes que existe. Depois de madura, pode apresentar um sabor levemente adocicado, mas ainda sim se mantém bastante ardida.

Pimenta-do-reino: representa uma das especiarias mais antigas e mais utilizadas no mundo. Pode ser encontrada nas cores verde, preta ou branca e possui sabor levemente picante. Pode ser usada em praticamente todas as preparações salgadas, sendo responsável por realçar o sabor dos pratos.

Pimenta caiena: constitui uma mistura de pimentas vermelhas secas (malagueta, dedo-de-moça e chifre-de-veado). Muito utilizada na culinária mexicana e tailandesa.

Pimenta biquinho: recebe esse nome por ser arredondada e estreita na ponta. A pimenta biquinho vermelha tem sabor suave e é muito utilizada na culinária mineira, já a amarela tem sabor marcante que não arde na boca, por isso, é empregada em pratos doces e salgados.

Pimenta tabasco: tem forma alongada e pequena e é originada de uma pequena cidade mexicana com mesmo nome. Antes de amadurecer, tem coloração amarela, depois alaranjada e por fim vermelha. Apresenta sabor picante, sendo utilizada no preparo de peixes e saladas.

Agora é com você escolher o tipo de pimenta que mais agrada o seu paladar!

Fonte: Natue

Dicionário Gastronômico

O cenário da gastronomia vem se transformando ao longo dos anos. Os restaurantes, que antes tinham um padrão bastante parecido, estão adotando estratégias cada vez mais criativas para se diferenciarem e conquistarem mais espaço no mercado.

Por isso, alguns estabelecimentos têm apostado no estilo de culinária gourmet. Essa expressão é associada à alta gastronomia por ter uma preocupação cultural e artística na apresentação e preparo dos pratos, além de prezar pela alta qualidade dos ingredientes.

Com isso, atualmente, tem sido mais comum ouvir falar de termos técnicos da gastronomia. Portanto, fizemos a seleção de alguns desses termos para que você fique por dentro desse cenário:

Aromatizar – Adicionar ervas, essências, vinhos ou licor a um alimento para perfumá-lo.

Chutney– Conserva condimentada, de origem indiana, feita de uma ou mais frutas, ou legumes misturados com vinagre, açúcar, gengibre, canela, cravo, cúrcuma e mostarda em grão.

Confit– Técnica de imergir alimentos para cozinhá-los ou conservá-los. Utiliza baixa temperatura e tempo prolongado. Carnes são confitadas em gordura e frutas são confitadas em caldas.

Coulis– Purê quase líquido de vegetais ou frutas, sem adição de gordura ou elemento engrossante.

Deglacear– Desprender crostas de alimentos do fundo de panelas ou assadeiras com auxílio de líquidos como vinho, caldo ou água, transferindo sabor para a elaboração de molhos.

Emulsionar– Bater, vigorosamente, ingredientes que não se misturam. A maionese é uma das emulsões mais conhecidas.

Flambar– Adicionar ao prato alguma bebida alcoólica e colocar fogo. Neste processo, o álcool evapora e deixa o alimento com o sabor da bebida.

Marinada– Líquido aromático com a mistura de temperos que envolvem os alimentos antes do cozimento. Esse processo ajuda a realçar o sabor.

Papilote– Processo de cozimento no qual o alimento é embrulhado em papel alumínio ou papel manteiga e assado no forno.

Redução– Diminuir a quantidade de líquido de um caldo ou molho em fogo baixo, com a tampa da panela aberta, permitindo a evaporação.

Saltear– Cozinhar, rapidamente, com pouca gordura em temperatura alta.

Selar– Dourar a superfície da carne, rapidamente, em uma superfície bem aquecida para que ela se mantenha suculenta.

 

Fonte: Dedo de moça

 

 

Paella Brasilenã

A Paella é certamente um dos pratos mais famosos do mundo, e encanta pelo sabor, aroma e cores. Originaria de Valencia, região costeira da Espanha, trata-se de um arroz composto de vários ingredientes e especiarias, entre elas o açafrão, a mais cara especiaria do mundo.

Por trás de vários mitos e histórias, o mais conhecido significado para o nome do prato é que a palavra/nome “PAELLA” deriva da antiga palavra francesa “PAELLE” (panela em francês).

Ingredientes

  • 400 gr de cebola
  • 2 dentes de alho
  • 100 gr de vagem
  • 150 gr de pimentão
  • 300 gr de tomate
  • 250 gr de linguiça toscana
  • 100 gr de bacon
  • 300 gr bisteca suina
  • 6 fatias de banana da terra
  • 15 gr de salsinha
  • 30 unidades de pimenta biquinho
  • Páprica picante a gosto
  • 800 ml de caldo de carne
  • 400 gr de arroz parboilizado
  • Sal a gosto
  • 0,2 gr de azafran

Modo de preparo

  1. Prepare um “Sofrito”, fritando o bacon picado, a carne da bisteca e a linguiça
  2. Assim que estiver bem dourado, “pegando” no fundo da panela, adicione as cebolas, e tempere com uma pitada de sal para cada ingrediente
  3. Acrescente em seguida o pimentão e a vagem
  4. Em fogo alto, frite bem estes legumes, sempre mexendo para não queimar e adicione a salsinha processada com alho e sal
  5. Frite por mais 5 minutos e coloque o tomate, começando assim o cozimento devido à água do tomate
  6. Corrija o sal e deixe refogar por 15 minutos em fogo médio/baixo
  7. Em seguida acrescente aos poucos o caldo, feito com os ossos da bisteca e um mirepoix, até cobrir o rebite da alça da Paella
  8. Adicione o azafran, o colorante e após abrir fervura corrija o sal e coloque o arroz
  9. Misture bem
  10. Assim que o caldo evaporar, o arroz estará cozido
  11. Sirva num prato e decore com a pimenta biquinho, chips de banana da terra e um ramo de salsinha

Uma boa Paella é aquela que encanta pela bela combinação de sabores, que pode inicialmente parecer estranho, mas ao comer prova-se o contrário.

 

Fonte receita: http://gnt.globo.com/receitas/receitas/paella-brasilena.htm

COMIDA CONTEMPORÂNEA

A cozinha contemporânea usa da criatividade para destacar e preservar sabores. Com as técnicas novas, europeias clássicas e americanas de diferentes chefes, combina os ingredientes de maneiras diversas e surpreendentes.

Os adeptos da cozinha contemporânea compreendem que degustar é diferente de saciar a fome. Por isso, o ritual da comida tem início na observação da disposição dos pratos à mesa. “A cozinha contemporânea permite isso sendo apresentada em poções para serem degustadas e não saciar a fome simplesmente”, explica. Alguns restaurantes especializados nesse tipo de cozinha, servem o “menu degustação” onde são apresentados vários pratos, propiciando uma viagem contemporânea de sabores.

Pensando em tudo isso e achando a melhor forma de proporcionar uma experiência gastronômica de alta qualidade para seus clientes, o Restaurante Santafé, possui uma variedade de pratos , com mais de 60 opções de saladas, a mistura de temperos mediterrâneos compondo a culinária internacional, dando um toque peculiar a cozinha da casa.

 

Uma sugestão do Restaurante Santafé é o Filet à Toscana:

filet a toscana logo

Delicioso filet mignon grelhado coberto com fatias de abobrinha italiana grelhada, berinjela grelhada, muçarela de búfala e tomates confitados. Tudo sobre refrescante molho pesto.