beneficios_culinaria_japonesa

 

A culinária japonesa tem ganhado destaque na categoria de alimentos mais saudáveis para o nosso organismo. Entenda os benefícios nutricionais da alimentação japonesa:

COGUMELOS

Ativam a saciedade, diminuindo a compulsão e a fome.

TOFU

Equilibra as quantidades do hormônio estrógeno.

PEIXES

Ricos em ômega 3, ácido graxo que limpa os vasos sanguíneos.

ALGAS

Reduzem em até 75% a absorção de gordura pelo organismo.

WASABI

Acelera o metabolismo, ajudando na digestão.

GENGIBRE

Ação desintoxicante, ajuda na digestão.

GERGELIM

Evita prisão de ventre e doenças cardiovasculares.

PEPINO

Auxilia na diluição dos cálculos renais.

 

sashimi

Etiqueta à Mesa Japonesa

A gente fala em etiqueta à mesa e normalmente pensa em como usar corretamente garfo, faca, copos de vinho e etc… Mas não é só a refeição ocidental que possui etiqueta. A oriental também! E como muita gente gosta de comida japonesa – eu, pelo menos, adoro – aqui vão algumas regrinhas de como se portar corretamente em um restaurante ou até mesmo em casa em um evento típico! 

2013.06.13-Etiqueta-Japonesa

Como usar a toalhinha única entregue antes da refeição?

Aquela toalhinha se chama oshibori. O correto é que ela seja entregue quente no inverno e fria no verão, enrolada dentro do oshiboridai, que é um pratinho de apoio, às vezes na forma de barco. A toalhinha deve ser aberta para passar apenas nas mãos e depois colocada, sem dobrar, sobre o apoio. Nada de limpar a boca ou o rosto com a toalhinha, hein!? É só a mão mesmo, ok? rs…

Como beber o sakê?

O copo de sakê chama-se otchoko. É pequeno, sem pé, e o de uso diário é de cerâmica. Tem também o quadrado de madeira cavilhada, que é tradicionalmente reservado para festas. Estes se chamam massu e hoje em dia é o que mais vemos nos restaurantes japoneses.

O sakê é sempre servido em temperatura ambiente e sem aquela pitadinha de sal que algumas pessoas costumam colocar na borda do massu.

Como usar o hashi e comer corretamente?

Os hashis são aqueles pauzinhos que a gente usa para comer os deliciosos sushis, sashimise outras delícias da culinária japonesa. Para utilizá-los corretamente:

1. Nunca raspe um hashi no outro depois de separá-los. Muita gente faz isso para tirar eventuais farpinhas do pauzinho, mas num restaurante típico você está indiretamente dizendo que os hashis não são de qualidade…

2. Para segurá-lo, fixe um deles entre os dedos, depois segure o outro e movimente só o de cima como uma pinça, como no desenho abaixo. Se achar muito difícil, saiba que comer com as mãos também é correto!

2013.06.13-Etiqueta-Japonesa

3. O correto também é pegar o hashi sempre do meio para cima e não na parte inferior. Para pegar o alimento, a posição correta dos pauzinhos é inclinada e não na vertical.

4. Não passeie com o hashi sobre os pratos enquanto decide o que vai escolher.

5. Não revire os alimentos que estão na vasilha para escolher do qual gosta.

6. Gesticular ou apontar para as pessoas com o hashi na mão também não é legal!

7. Não espete os alimentos com o hashi, use-o sempre como pinça.

8. Gente, nada de passar a língua no hashi ou de raspar um no outro para retirar alimentos grudados nele.

9. Coma os alimentos em um só bocado. Se forem muito grandes, você pode dividí-los com o hashi e não dando dentadas.

10. Nunca mergulhe o lado do arroz no molho shoyu, mas sim a parte do peixe.

11. Não coloque pedaços de gengibre sobre o sushi (Adoro aquele gengibre!). Ele deve ser comido entre uma peça e outra para limpar o paladar.

12. Não misture wasabi no molho shoyu. Ele deve ser colocado direto no sushi.

13. Não segure o hashi com os dentes quando quiser usar as duas mãos: repouse-os dentro da bandeja, apoiando os cabos sobre a borda.

14. Observe se os alimentos que vão ser levados à boca não estão pingando molho. Ninguém merece roupa manchada! 😉

Fonte: Home4two/ Por Fabiana Bellentani

ALIMENTOS FUNCIONAIS: ENTENDA E INCLUA NAS REFEIÇÕES!

funcional-

 

Muito se ouve falar em alimentação funcional. Mas o que significa este termo? Em linhas gerais, fazem parte desse grupo aqueles alimentos que, além de cumprirem sua função nutricional, fazem bem à saúde e em alguns casos ajudam até a prevenir doenças.
Não à toa, alguns restaurantes têm investido em cardápios funcionais, aliando a boa mesa aos cuidados com a saúde. Que ao praticar a gastronomia funcional une o sabor dos ingredientes aos efeitos que eles, combinados, terão no organismo.
Mas ninguém precisa sair de casa para experimentar a gastronomia funcional. O segredo está sem saber como consumi-los, já que não basta simplesmente misturá-los aos pratos do dia a dia. Abaixo uma lista de alimentos funcionais que podem entrar na dieta e ajudar a sua saúde.
Alho – 1 dente cru (pode ser moído ou picado) por dia melhora a imunidade e aumenta o colesterol bom;
Goji berry – 120 ml de suco ou entre 15g e 45g in natura ou desidratado por dia ajuda a aumentar a imunidade;
Chá de hibisco – esquente diariamente uma colher de chá da folha seca em 200 ml de água mineral até cerca de 85 °C. Ajuda a controlar o colesterol, a queimar gordura e tem ação diurética e antioxidante;
Chá verde – diariamente, ferva 1 litro de água, desligue e coloque 1 colher de sopa da erva. Aumenta o colesterol bom, reduz o ruim, potencializa o emagrecimento, tem ação antioxidante e ajuda a prevenir alguns tipos de tumor;
Gengibre – 2 colheres de chá por dia fresco, seco ou em conserva têm ação antioxidante, ajudam a combater problemas respiratórios e ajudam no funcionamento do sistema digestivo;
Vinho tinto – 1 cálice por dia para se beneficiar de seus poderes antioxidantes que previnem câncer e doenças cardiovasculares;
Azeite de oliva – 1 colher de sopa do tipo extravirgem (sem aquecê-lo) ajuda no funcionamento do intestino e combate o envelhecimento precoce das células;
Chia – de 1 a 2 colheres de sopa da semente ou da farinha ou 1 colher de sopa do óleo por dia. Ajuda no funcionamento do intestino, previne doenças cardiovasculares e tem ação anti-inflamatória;
Linhaça – 1 colher de sopa por dia, de preferência moída na hora, tem como benefícios o alívio de sintomas da TPM e da menopausa, a regulação dos hormônios em geral e a melhora do funcionamento do intestino;
Pimenta vermelha – não há uma quantidade exata recomendada, mas ela ajuda a acelerar o metabolismo, dá sensação de prazer e de saciedade;
Tomate – 100 g por dia, no molho, ajudam a combater o envelhecimento precoce e a prevenir alguns tipos de câncer;
Canela – de 1 g a 6 g por dia, em pó ou em pau, têm ação termogênica e ajudam a controlar o diabetes e o colesterol. Ainda melhora a imunidade e tem ação anti-inflamatória;
Quinoa – não há uma quantidade exata recomendada. Ela pode ser consumida em grão ou como farinha, ajudando a prevenir problemas cardiovasculares. Também traz sensação de saciedade;
Couve – a recomendação diária é de 100 g, crua ou cozida. Também pode ser adicionada a sucos, e tem ação antienvelhecimento, além de ajudar a prevenir câncer e anemia;
Farinha de arroz – substitui a farinha de trigo nas receitas e age contra o colesterol ruim, melhora os níveis de açúcar no sangue e o funcionamento do intestino;
Farinha de aveia – diminui o colesterol ruim e, como tem absorção lenta no organismo, traz sensação de saciedade, melhorando ainda o funcionamento do intestino;

 

Fonte: blog Angeloni