Ervas frescas ou secas? Quem vence a disputa?

Quem nunca sentiu aquela fome enquanto sentia o cheiro de uma deliciosa comida sendo preparada? Os aromas aguçam o nosso paladar e as ervas são muito utilizadas como temperos no preparo de diversos pratos, pois além de super aromáticas, proporcionam maior sabor aos alimentos.

Algumas pessoas conseguem até mesmo reduzir a quantidade de sal em suas refeições utilizando as ervas como alternativa. Porque, dessa forma os pratos ficam mais saudáveis, entretanto continuam bastante saborosos.

Você sabe qual a melhor forma de utilizar ervas frescas e secas? Então confira as dicas que selecionamos para você.

COMO UTILIZAR AS ERVAS DESIDRATADAS?

Se a erva for desidratada, não espere até o final do cozimento para adicioná-la. A erva seca precisa de mais tempo para liberar seus aromas e se misturar aos sabores do prato.

As ervas que melhor retém o aroma são aquelas em formato de arbustos, como o orégano, o tomilho e o alecrim. Ervas mais tenras, como o manjericão e a cebolinha, perdem muito do seu aroma, e por isso são melhores quando usadas frescas.

Se você for substituir a erva fresca pela seca, lembre-se que a seca tem sabores mais concentrados e por isso você precisará de uma porção menor. Use cerca de 2/3 do que você utilizaria se fosse uma erva fresca.

COMO UTILIZAR AS ERVAS FRESCAS?

A erva fresca deve ser adicionada ao final do cozimento ou com o prato pronto. O manjericão, por exemplo, deve ser adicionado à pizza depois que ela sair do forno. Já o tomilho fresco deve ser adicionado à sopa momentos antes de finalizar o cozimento.

Ervas frescas são muito indicadas para pratos que não vão ao fogo ou que terão muito pouco tempo de cozimento, como saladas e em alguns molhos.

Você também pode misturar as ervas desidratadas com as frescas. Coloque um pouco de ervas secas no início do cozimento para que os sabores se misturem e um pouco de ervas frescas ao final para realçar o sabor.

E aí, podemos considerar um empate, nessa disputa? Coloque em prática as nossas dicas e descubra o que mais agrada o seu paladar.

Fonte: Cozinha Técnica

 

Um guia de harmonização de vinhos e churrasco

O churrasco está presente em muitos momentos de diversão e lazer ao lado dos amigos e familiares. Apesar da tradição dos brasileiros de consumir cerveja durante essas ocasiões, os vinhos também são ótimas opções porque harmonizam muito bem com diferentes tipos de carnes.Ao contrário do que algumas pessoas pensam, não são apenas os vinhos tintos que resultam em boas combinações com churrasco. Para fazer boas escolhas, é necessário considerar o modo de preparo da carne, tempo de cozimento, temperos, molhos, gordura e suculência, a fim de que se possa optar pelo vinho ideal. Se for o contrário, ou seja, se a carne for escolhida após o vinho, será preciso levar em conta a existência de taninos, corpo, estrutura e acidez do mesmo.

PICANHA

É um dos cortes mais apreciados pelos brasileiros, e costuma ser a principal escolha para um bom churrasco. Essa carne é bem macia e vem envolvida em uma suculenta capa de gordura.

Vinho Ideal: Malbec argentino da melhor qualidade.FRALDINHA 

A fraldinha é uma carne macia e sequinha. Logo, não requer um vinho de muito peso.

Vinho Ideal: Merlot não muito encorpado, com taninos suaves e arredondados. CUPIM

Essa carne apresenta bastante gordura, e não é muito suculenta Apesar de macia, às vezes pode se apresentar um tanto quanto seca.

Vinho Ideal: Espumante Brunt. O perlage (borbulha) da bebida ajuda a suprir a falta de líquido, potencializando o sabor da carne. COSTELA 

Trata-se de uma peça gordurosa e macia, que requer um vinho um pouco mais encorpado, mas não muito pesado. A costela já é um corte super saboroso e acompanhado por molho barbecue é ainda melhor.

Vinho Ideal:  Syrah , um vinho tinto de médio corpo com notas de especiarias.ALCATRA

Bastante fibrosa macia e pouco gordurosa, a alcatra costuma estar presente na maioria dos churrascos.

Vinho Ideal: Carmenére Chileno ou Pinot Noir, vinhos tintos de corpo médio e boa acidez.FRANGO

Carnes brancas são leves e com têm pouca quantidade de gordura.

Vinho Ideal: Sauvignon Blanc, que possui ótima acidez e notas aromáticas ou um bom vinho Rosé. LINGUIÇA

Costuma ser a entrada em muitos churrascos. Geralmente, são peças suculentas com certa porcentagem de gordura.

Vinho Ideal: Espumante Rosé Brunt. Mas se a linguiça for apimentada, um Riesling seco alemão pode ser uma boa opção. Ele também combina bem com salsicha e carne de porco.Fonte: Vila Vinífera